De Boa Intenção, O Inferno…Ooops. Nada disso.

people-holding-hands

Vamos combinar uma coisa, antes de mais nada?

Aqui nesse espaço você vai se esquecer completamente da ideia recitada nesse título, que não tem nada a ver com a “ciência” que existe por trás daquele simples e costumeiro ato de “intencionar” alguma coisa para si ou para outra pessoa. Além disso, se o inferno estivesse mesmo cheio de boas intenções, não seria um inferno, obviamente, venhamos e convenhamos!

E te digo mais: não existe inferno, amor (chuac!).

Assim, proponho inaugurarmos aqui com este post uma jornada juntos, que se tornará cada vez mais encantadora, embora simples e muito, muito poderosa mesmo.

Esse site está sendo construído com muito cuidado e carinho, viu?

Ele é fruto de experiências coletivas, de minhas experiências pessoas, de elucubrações, leituras, escrituras, traduções, canalizações e o escambau a quatro existente sobre esse tópico.

A bem da verdade, esse assunto “caiu de paraquedas” em meu colo no início de 2017, numa manhã comum, já aqui na casa nova. Foi como se eu tivesse recebido um presente amplificado, que me arrebatou de uma forma tal que eu tinha que partilhar com você, pois a força da intenção coletiva é muito, muito “real” mesmo, amigo leitor.

E eu te prometo outra coisa: essa viagem será muito prazeirosa.

Assim, vou te deixar agora com algumas perguntinhas capciosas, enquanto continuo compilando materiais, traduzindo manuais, editando trechos, pesquisando mídias, aprendendo a produzir efeitos a fim de ambientar deliciosamente a nossa viagem, topou? Então estamos combinados.

Vamos às provocações:

Você já se perguntou o que acontece quando muitas pessoas pensam a mesma coisa ao mesmo tempo?  Será que isso causaria um efeito maior do que os nossos pensamentos gerados individualmente no escurinho do cinema ou no mais profundo recôndito do nosso ser? E se muitas pessoas pensarem a mesma coisa no mesmo horário? Será que isso geraria algum efeito a mais em relação à realização desse pensamento?

Será que seria necessária uma quantidade ideal ou um número determinado de pessoas com as mesmas intenções  para que se consiga provocar um efeito maior ou mais eficaz dessas intenções?

E por último: a manifestação de uma intenção mudaria em relação à sua “dose”, isto é, quanto maior o grupo “intencionando” a mesma coisa, maior o efeito/manifestação da intenção?

Ahá, boas perguntas não?

Fiquemos pensando em como respondê-las, pois tais ideias configuram a alma mesma deste site, a que denominei precisamente de O Site da Intenção.

Então, muito obrigada por entrar nessa comigo.

Um abraço beeeeem abraçado e até breve.

Flavia Criss

Golden-Gate-Bridge

Califórnia, San Francisco North Bay, em 15 de Setembro de 2017.